Astros evitam se comprometer com tributo a Michael Jackson

O grande show que Katherine Jackson, mãe de Michael Jackson, está preparando para homenagear o filho por enquanto ainda é uma incógnita. Isso porque, dos principais artistas convidados por ela para participar do evento, apenas dois de fato confirmaram presença – o restante, ou declinou ao convite por falta de tempo ou mantém posição incerta. As informações são do site TMZ.

De acordo com fontes ouvidas pela página, astros como Jay-Z, Kanye West, Chris Brown, Christina Aguilera, Usher e Bruno Mars receberam os convites, que pediam a eles para cantar uma ou duas de suas canções favoritas do rei do pop no dia 8 de outubro, em Cardiff, no País de Gales.

Cantor será homenageado em outubro, no País de Gales

Mas, apesar das promessas por passagens de avião de primeira classe e as melhores acomodações disponíveis na cidade, a maioria dos artistas não aceitou a proposta e apenas um, Cee Lo Green, já teria assinado o contrato.

Brown, Bieber e Mars recusaram o convite, alegando conflitos com suas agendas. West e Aguilera, por outro lado, podem confirmar presença nos próximos dias, segundo fontes.

 

 

 

 

 

 

Fonte: Jornal do Brasil

Cirque du Soleil estreia novo espetáculo ‘Michael Jackson – The immortal’

“Michael Jackson- The immortal world tour” do Cirque du Soleil,estreia nos palcos no dia 2 de outubro, em Montreal, no Canadá. De acordo com a publicação do jornal “OGlobo”, desta terça-feira.

O novo tour do Cirque acontece em um reino fantástico onde descobrimos a àrvore inspiradora de Michael, dando fonte a sua criatividade. Revelando os segredos do mundo interior do eterno rei do pop, desbloqueando, o seu amor pela música e pela dança, o conto de fadas e a magia, a beleza e fragilidade da natureza.

Assista ao vídeo!

Fonte: sidneyrezende.com

Caçula de Michael Jackson faz declaração em quadro: ‘Eu te amo, papai’

Blanket, de nove anos, escreveu a mensagem em obra de arte doada a um hospital infantil de Los Angeles.

Nesta terça-feira, 9, os filhos de Michael Jackson – Prince, Paris e Blanket -doaram obras de arte a um hospital infantil de Los Angeles. La Toya, irmã de Michael, e Catherine, mãe do cantor, também estiveram no evento.

No total, foram doadas 13 obras, que continham homenagens dos filhos ao cantor. Todas as peças foram assinadas na lateral por Michael e uma delas incluía uma foto do astro. “A arte e a música do meu pai sempre fizeram as pessoas felizes. Eu te amo, papai”, escreveu Blanket, filho caçula do cantor.

La Toya afirmou que as obras vão levar alegria ao hospital para o qual foram doadas. “Você olha para isso e fica feliz”, disse. “Tem uma coisa mística, tem magia, alegria e paz. Eu sei que quando as crianças olharem para as peças, vão ficar felizes. E de alguma forma, eu sei que vai trazer alegria para o meu irmão também.”

Blanket e Katherine Jackson

Fonte: EGO-GLOBO.COM

Júri por morte de Michael Jackson começa em um mês

Quem matou Michael Jackson? Seu médico Conrad Murray ou ele mesmo, por causa de “alguma medida desesperada” que causou sua morte? Dentro de um mês, advogados e promotores começam a debater, com transmissão ao vivo pela TV, a responsabilidade pela morte do “rei do pop”.

Começa nesta terça-feira (9/8) a contagem regressiva de 30 dias para o julgamento do médico Conrad Murray, acusado de matar “involuntariamente” o cantor Michael Jackson, há dois anos, ao administrar-lhe uma dose excessiva do anestésico cirúrgico propofol, em combinação com outros medicamentos, de acordo com a promotoria. O médico responderá por homicídio culposo num julgamento que, segundo é esperado, poderá se tornar um espetáculo de pelo menos dois meses, para ser acompanhado com paixão pelo público americano. Em fevereiro, um juiz de Los Angeles decidiu que uma câmera de TV será admitida na sala do tribunal.

A contagem regressiva foi disparada com o fim do prazo, ontem à meia noite, para os advogados do médico entregarem aos promotores públicos todas as declarações e relatórios obtidos de possíveis testemunhas de defesa. As regras do processo penal da Califórnia requerem que as duas partes atendam certas exigências de instrução (discovery requirements) 30 dias antes do início do julgamento, diz o site da CNN.

No entanto, os promotores ainda não haviam recebido as declarações de 76 das 103 pessoas arroladas como testemunhas pela defesa. Os documentos vão permitir aos promotores saber sobre o que as testemunhas vão falar, disse o vice-promotor público distrital David Walgren. O principal advogado de defesa, Ed Chernoff, disse que já entregou tudo o que coletou, mas muitos das possíveis testemunhas não têm cooperado, diz a CNN.

Na legislação americana, discovery é a fase pré-julgamento de um processo, na qual cada parte pode obter evidências da parte oposta, que servem de instrumentos de instrução, tais como requisições de respostas a interrogatórios, requisições de produção de documentos, requisições de admissões e testemunhos. Pode envolver qualquer material que seja “razoavelmente calculado para levar a evidência admissível”, explica a Wikipédia.

O juiz do tribunal superior do Condado de Los Angeles Michael Pastor, por sua vez, decidiu recomeçar todo o processo de seleção do júri, porque as 129 perguntas feitas a 500 jurados potenciais em março e abril acabaram vasando ao público, depois que o grupo foi reduzido a 171 pessoas e que processo foi adiado por alguns meses, para dar aos advogados mais tempo para se preparar.

Os promotores pediram ao juiz para examinar os registros médicos de pacientes do acusado, para decidir se podem usá-los no julgamento. Eles querem demonstrar as práticas do médico na administração de medicamentos, embora nenhum dos pacientes tenha relação com o caso. A polícia coletou caixas de registros médicos dos consultórios de Murray em Houston (Texas) e Las Vegas (Nevada), informa a CNN. O juiz questionou a legalidade do pedido, porque os registros médicos são protegidos por lei federal. “Não me agrada a ideia de examinar registros médicos pessoais, a não ser que haja uma razão específica para isso”, disse o juiz.

O debate
Em uma primeira audiência em fevereiro, o médico Conrad Murray se declarou inocente. Seus advogados enviaram uma intimação à Sony solicitando a gravação do último ensaio de Michael Jackson para o show “This is it”, para apresentá-la ao júri. Eles querem demonstrar que o cantor estava em péssimas condições físicas e mentais imediatamente antes de sua morte.

“Eles querem mostrar que Michael estava lento, apático e fraco nos dias que antecederam sua morte. E que Michael morreu, não por causa da medicação, mas porque estava doente e tomou alguma medida desesperada que causou sua morte”, dizem os advogados de defesa, segundo o site TMZ. Os promotores também requisitaram as mesmas gravações. “Eles querem demonstrar que, ao contrário do que diz a defesa, Michael estava feliz e excitado sobre o futuro”.

Os advogados do médico também requisitaram evidências de impressão digital na injeção com o medicamento destinado a solucionar o problema de insônia crônica do cantor. Eles esperam encontrar impressões digitais de Michael Jackson, não do médico, em uma injeção quebrada que detetives encontraram na “cena do crime”. “Agora o médico está fazendo tudo o que pode para provar que sequer pegou na injeção e que Michael a aplicou em si mesmo, quando ele estava fora da sala”, diz o site Celebrity News & Style. Se condenado, Conrad Murray pode ser sentenciado a até quatro anos de prisão.

Fonte: conjur.com.br

Desenhos de Jackson são doados; filhos participam de evento

Dez desenhos assinados pelo astro do pop Michael Jackson foram entregues nesta segunda-feira (8) por seus três filhos a um Hospital infantil de Los Angeles, nos Estados Unidos.

Os jovens – Prince, 14 anos, Paris, 13, e Prince Michael (conhecido como “Blanket”), 9 – também assinaram alguns dos desenhos perto do nome do pai, que morreu em 25 de junho de 2009, aos 50 anos.

“Quando vejo isso, me sinto feliz”, disse La Toya, irmã de Michael Jackson durante uma cerimônia no hospital. E acrescentou: “os desenhos são divertidos, mágicos e só trazem alegria e paz”.

Em seguida, La Toya comentou que seu irmão ficaria feliz em saber que as obras estão “num hospital como este”.

Os desenhos, que ficarão expostos no edifício do hospital, foram doados por Brett Livingstone Strong, artista e amigo da família de Jackson, que os mantinha em sua coleção privada.

O prefeito Antonio Villaraigosa e a mãe de Jackson, Katherine, assistiram à cerimônia de entrega.

 

Fonte: Terra

Michael Jackson: médico é acusado de homicídio involuntário

A procuradoria de Los Angeles apresentou hoje acusações contra o médico pessoal de Michael Jackson, Conrad Murray, acusado de ter responsabilidade, embora involuntariamente, pela morte do “rei do pop”, informaram as autoridades.

A documentação apresentada pelo Escritório do promotor do distrito perante os tribunais diz que o médico “matou Michael Joseph Jackson sem premeditação”. Murray foi acusado de ter atuado “fora da lei” e sem a devida “precaução e cautela”.No entanto, foi destacado que Murray agiu “sem má intenção”, por isso não é considerado merecedor de castigo correspondente a um “delito grave”.

A promotoria indicou que Murray corre risco de pegar uma pena máxima de quatro anos de prisão. A notícia da acusação tinha sido antecipada pela imprensa local há algumas semanas.
Hoje, dezenas de veículos de comunicação enviaram correspondentes à entrada do tribunal à espera da aparição do médico, que deve ficar em liberdade imediatamente, após o pagamento de uma fiança.

Acredita-se que Murray precisará pagar US$ 25 mil para evitar a prisão preventiva, e deixará Los Angeles rumo a Las Vegas ou Houston em breve.

Fonte: UOL