Família Jackson não quer a participação do Kiss em show

Os organizadores do show Michael Forever: The Tribute Concert in Cardiff, que será realizado em homenagem a Michael Jackson, receberam uma carta furiosa de representantes do rei do pop. De acordo com o site Contactmusic.com, eles não gostaram do convite feito ao Kiss, que tocará no show.

Em 2010 Gene Simmons, baixista da banda, disse em entrevista à revista Classic Rock que o cantor ficou conhecido mundialmente por conta das acusações de pedofilia. “Não há boas memórias que eu tenha do Michael que resistam às várias acusações que se seguiram”, afirmou.

Howard Weitzman, advogado da família Jackson, contou que todos ficaram desapontados com o anúncio da participação da banda. “O senhor Simmons fez muitos comentários sobre o passado de Michael Jackson e não concordamos”.

O show será realizado em 8 de outubro e também contará com a participação de Christina Aguilera, Cee Lo Green, Leona Lewis e Smokey Robinson.

Fonte: Jornal do Brasil

Janet Jackson cancela show após tragédia em Indiana

A cantora Janet Jackson foi obrigada a cancelar um show previsto para esta quarta-feira, na feira do estado de Indiana, no norte dos Estados Unidos, depois de um trágico acidente no último sábado. Ventos fortes provocaram o desabamento do palco pouco antes do início de uma apresentação. Cinco pessoas morreram e 45 ficaram feridas.

A irmã de Michael Jackson comentou sobre a tragédia no Twitter: “Com o coração destroçado. Orações e amor por Indiana”, escreveu.

 

 

Fonte: SRZD – sidneyrezende.com 

Seguradora de Michael Jackson processada em milhões

Companhia de seguros por nega-se a pagar a apólice que cobria os espectáculos que o artista ia realizar em Londres

 

Os representantes legais de Michael Jackson processaram a seguradora Lloyd`s of London por esta se negar a pagar a apólice milionária que cobria os espectáculos que o cantor ia realizar em Londres quando morreu.

Segundo o site TMZ, os advogados do rei da Pop recorreram aos tribunais dois anos após a morte do cantor para reivindicar mais de 17 milhões de dólares, que Lloyd`s of London se comprometeu a pagar caso a apresentação fosse cancelada. 

No início do ano, a instituição londrina pediu anulação judicial da apólice que cobria os espectáculos por considerar que o contrato se referia às «perdas originadas por acidente» que impediria a tournée «This is it». A segurador explicou que o seguro não abrangia a possibilidade de homicídio.

O Ministério Público de Los Angeles acusou o médico particular do cantor, Conrad Murray, de homicídio pela morte do artista. O julgamento contra Murray começará apenas em Setembro.

O Lloyd`s of London argumentou ainda que, na hora de assinar a apólice, Michael Jackson mentiu sobre seu historial médico e as suas dependências químicas. 

Segundo a autópsia, o rei do Pop morreu vítima de uma overdose de comprimidos, o propofol, e diversas pessoas próximas do artista afirmaram que o cantor era dependente de medicamentos, entre eles o propofol, que tomava frequentemente para dormir. 

Em Junho de 2009, Michael Jackson estava em Los Angeles ensaiando para as apresentações que iria realizar a partir de Julho em Londres. Os representantes do cantor reclamam, além dos 17,5 milhões de dólares, uma indenização por danos e prejuízos sofridos pelo atraso do pagamento do seguro.

Fonte: TVi 24