Testemunha do caso Jackson não cumpre ordem judicial e é multada


Especialista em propofol falou informações confidenciais durante julgamento nesta segunda-feira, 31

A defesa do médico Conrad Murray passou por maus momentos nesta segunda-feira, 31, durante o 21º dia de julgamento. A principal testemunha de defesa, o especialista em propofol Paul White, descumpriu uma ordem judicial ao falar sobre conversas confidenciais que teve com Murray e teve que pagar uma multa de US$1 mil.

Quando questionado pelo promotor David Walgren se Conrad Murray fornecia propofol a Michael Jackson, White declarou que acreditava que o cantor tinha seu próprio estoque do remédio e que Jackson poderia ter injetado um resto do anestésico que Murray deixou na seringa.

Dr. Paul White testemunha no 21º da de julgamento

Neste momento, o juiz pediu que os jurados se retirassem e avisou a White que ele deveria falar somente sobre o que Murray relatou à polícia e não sobre conversas particulares entre os dois.

“Francamente, isto constitui uma afronta ao tribunal”, disse o juiz responsável pelo caso Michael E. Pastor. Segundo a revista “People”, esta foi a segunda vez que White foi acusado de descumprir uma ordem judicial: a primeira aconteceu no dia 21 de outubro quando o juiz o ouviu xingar um dos membros da promotoria. O juiz ordenou que White volte ao tribunal no dia 16 de novembro para uma audiência. As informações são do EGO.

Fonte: Correio*

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s