Jermaine Jackson confessa que está aliviado

O irmão de Michael Jackson disse que justiça foi feita

 

Jermaine Jackson, irmão do Rei do Pop, disse que está aliviado, assim como o resto de sua família, por Conrad Murray ter sido declarado culpado pela morte de Michael Jackson.

Segundo o veredito do tribunal e até que seja dita a sentença, foi provado que o médico injetou uma dose mortal de propofol no cantor e que, além disso, não o ajudou convenientemente.
Parte da defesa de Murray era baseada em alegar que Jackson era um viciado em sedativo, no entanto, Jermaine saiu em defesa de seu irmão e insistiu que ‘Michael queria dormir, não morrer’, e alega que a autópsia revelou que o artista não tinha rastros de medicamentos em seu organismo, a não ser o anestésico administrado por Murray.
“Aliviados sim, de que a justiça foi feita, Michael deve estar feliz”, concluiu o também cantor.
Conrad Murray conhecerá sua sentença ainda este mês.
Fonte: O Fuxico: 
Anúncios

Irmãos de M. Jackson: insônia veio com a acusação de pedofilia

 

 

Família acusa médico pela posse inadequada de medicamentos

 

Durante uma entrevista ao programa Fantástico, da TV Globo, os irmãos de Michael Jackson, Tito e Rebbie, afirmaram que os problemas do cantor surgiram com as acusações de pedofilia. Com elas, o astro começou a sentir insônia, e precisou tomar remédios; uma overdose deles causou a morte de Michael.

“Ele nunca conseguiu superar a ideia de que as pessoas pensassem que ele tinha feito aquilo”, disse Rebbie sobre as acusações de pedofilia.

Conrad Murray, médico do cantor, está sendo julgado sobre a morte de seu paciente, e o resultado do júri deve sair nos próximos dias. Para os irmãos, o médico é culpado por estar trabalhando com um remédio que só é usado em hospitais.

 

Fonte: Terra

Tatiana Yvonne Thumbtzen : ‘O Rei do Meu Coração’

Michael Jackson – O REI do meu Coração


 Tatiana Yvonne escreveu um novo livro intitulado “Rei do meu coração” – sobre o seu tempo e experiência com Michael Jackson. Tatiana era uma bailarina da agência Julliard e uma modelo bem sucedida moando em uma cobertura no Japão, muito antes de seu sucesso “overnight”, como protagonista de Michael no vídeo ‘The Way You Make Me Feel.’

Mas foi o vídeo que fez dela uma figura instantaneamente reconhecível em seu círculo de Hollywood. Rumores de um romance entre eles parecia justificado por uma associação permanente entre os dois que passaram a ser vistos constantemente juntos, e mesmo após o vídeo, Michael a convidou para a Bad Tour.

 

 A entrevista a seguir foi realizada pelo site AllHipHop.com

 AllHipHop.com: Você foi procurado por Hollywood Royalty para trabalhar com Eddie Murphy, o príncipe e também trabalhou com nomes do peso de Robert De Niro. O que faz Michael, o rei do seu coração?

Tatiana: Michael foi a minha infância. A primeira vez que eu coloquei os olhos sobre Michael eu tinha 3 anos e naquele momento eu pensei que ele era único – e eu agarrei esse amor e esse sonho de conhecê-lo – desde que eu era uma garotinha.

AllHipHop.com: Qual é o propósito de escrever um segundo livro?

Tatiana: Este segundo livro vai mais a fundo com a minha história. Algumas das mesmas histórias estavam na minha memória mais recente, mas este segundo livro é mais completo. E, claro, com sua morte foi como se fosse completado um círculo completo: da primeira vez que eu coloquei os olhos nele e caí no amor com ele – até sua morte …. Eu o perdí. O mundo o perdeu. Isso fez … um círculo completo.

AllHipHop.com: Como você lidou com isso?

Tatiana: Honestamente … com Deus e com muito Amor. Estou constantemente mantendo minha fé em Deus. Ainda é difícil. Todo dia eu acordo e eu me lembro que o mundo não é o mesmo. Para mim há algo faltando. Alguém que eu sempre tive perto do meu coração como uma alma gêmea. Portanto, não é fácil, porque às vezes eu sinto que eu preciso de algo que não está mais aqui.

AllHipHop.com: Eu tenho certeza que você concordaria que Michael foi tratado com muita perseguição e alienação quando ele estava vivo, mas parece que muito amor reprimido veio à tona depois que ele morreu e as pessoas repentinamente abraçaram Michael como um mito, um ídolo e uma inspiração, ou pelo menos essa foi a minha … percepção.

Tatiana: Você está correto, sua percepção foi absolutamente correta. Eu vi um monte de gente que não eram fãs de Michael Jackson, de repente tornarem-se fãs de Michael Jackson, com grande idolatria, encontrado de novo a admiração que ele não teve quando estava aqui. O que eu percebi é que as pessoas nem sempre souberam quem de fato ele era. E isso é pesado e triste, mas é verdade. Também já vi pessoas de repente – procurando peças de Michael fora da relação encontrada ( material ) com nova admiração. Até mesmo eu senti. Tenho agora novos fãs que apreciaram-me mais por causa disso. Porque eles aprenderam a lição verdadeira que Michael deixou, mesmo.

AllHipHop.com: Essa é uma boa maneira de colocá-lo, uma lição.

Tatiana: Sim e não é uma coisa ruim, ao contrário, é maravilhoso. Eu sempre achei que é o sentido da vida, aprendendo lições, por vezes da maneira mais difícil. Uma pessoa só pode aprender ou ensinar. Esse é o sentido da vida, vivendo e aprendendo e Michael foi um homem que ensinou muitas lições.

AllHipHop.com: Como conhecer Michael mudou sua vida?

Tatiana: (Hesita) … Caramba … Essa é uma pergunta muito boa. Ele me ensinou que eu sempre acreditasse que tudo é possível com trabalho duro e diligência. Ele me ensinou que os sonhos vêm sinceramente e se transformam em realidade verdadeira. Com todo o meu trabalho duro e formação em balé, acreditei que eu iria encontrá-lo algum dia …

AllHipHop.com: Em qualquer lugar em seus pensamentos, você nunca pensou que ele estaria interessado ou caído por você?

Tatiana: Não !!! Eu nunca realmente pensei que desse jeito, mesmo tendo um amigo que previu isso. Lembro que eu disse no livro sobre esse meu amigo, a quem eu não mencionei o nome, que me disse: -“Você deveria mudar para Nova York e tentar conhecer Michael Jackson. Ele ama você, ele acha você linda”. (Risos) Mesmo assim, ainda não pensei nisso. Minha coisa toda era a vontade de conhecê-lo, mas eu nunca alimentei a idéia de nós ficármos um com o outro. Quando eu fui conhecê-lo e trabalhar com ele, tudo aconteceu muito naturalmente e de maneia bem profissional. A química só aconteceu depois. Não é foi algo que eu previa, ou tentei fazer acontecer. Foi só Deus. Mas foi o momento mais feliz da minha vida, encontrá-lo conhecê-lo e trabalhar com ele. Eu nunca conheci a felicidade desde então. Não esse tipo de felicidade.

AllHipHop.com: Imagino que foi difícil, seja profissionalmente ou emocionalmente.

Tatiana: Também tem o fato de que ele era o maior artista que já viveu. Mas na intimidade ele era um cara. Quando nós estávamos caídos um pelo outro – tratava-se apenas de duas pessoas. Não era sobre o seu estado de ídolo ou algu[em maior do que esta imagem da vida. Foi mais difícil no começo, mas depois que ele quebrou o gelo e começamos a nos conhecer um ao outro, era apenas Michael, o cara e eu.

AllHipHop.com: A maneira como as pessoas enxergavam Michael sempre foi muito polarizada. Ou estão vendo-o como sub humano ou endeusar ele demais. De qualquer maneira, as pessoas na época, nunca humanizá-lo o suficiente para acreditar que uma mulher bonita como você poderia se apaixonar por ele. Desde sua morte no entanto, houveram muitas histórias de ele ser um grande sedutor. Você diria que o comportamento dele poderia ser qualificado como o de um paquerador ?

Tatiana: Ah completamente !!! Sabe quando percebí isso realmente ? Na cena em que atravessam o carro no clip – o meu salto ficou preso no estofamento do carro e Michael agarrou minha perna – tentando me ajudar a puxar o meu pé para fora do estofamento. Fiquei tão surpresa e com um certo temor, por que ele tocou minha perna de um modo tão íntimo que eu me afastei rápido e acabou caindo para fora do carro uma parte da minha bunda. A próxima coisa que Michael fez foi me agarrar e ficou limpando minha bunda com a mão, mas não de forma depreciativa, mas de uma forma graciosa, sedutora. Quando olhei para trás, ele tinha um sorriso diabólico. Ele era um homem normal e ficou vermelho nessa hora.

AllHipHop.com: Eu vi uma entrevista sua com Vicki Lawrence, gravada durante todo o tempo do vídeo e você falando sobre você e Michael e ela brincando com você. Ela teve naquele momento uma oportunidade ótima para ouvir sobre o seu relacionamento com ele. Mas vc foi um pouco rude com ela.

Tatiana: O que ela estava fazendo era desperdiçar a minha oportunidade de crescer profissionalmente, fazendo com que o público me levasse como uma brincadeira e não me levasse a sério, ela só me viu como mais uma piadinha dela. Ela ainda disse: “Essas aulas de dança com Michael… se você não pagar…” Mas Michael não penssava assim. Ele achava que a minha caminhada tinha sido muito sexy. Ele disse que a minha “caminhada foi a minha dança!” Ele também me ensinou uma lição, sobre como realmente a mídia trata os que estejam perto de Michael Jackson. Era como se eu estivesse sob o seu guarda-chuva. Por isso, eu sentí o reflexo de como a mídia sempre perseguiu e sempre jogou ele fora, como se ele fosse uma pessoa estranha, e ficaram tirando sarro de mim porque eu estava ficando com ele. É como Firpo Carr (MJ associado) disse: “Ser um Michael Jackson não associado (*) é para os fracos de coração ou fracos de joelhos.”

 (*) ‘Não associado’ é aquele que não é fã de Michael.

 

 Fonte – Legendary Michael

Seth Riggs fala de Michael Jackson em entrevista para Sara Levy



Está é uma entrevista comovente do Seth Riggs, que era o treinador ou professor vocal de Michael Jackson a partir dos anos 80.

Ele foi entrevistado pela Sara Levy, Magic Music Site.

Seth Riggs: Como todos sabem, Michael era um artista fenomenal. Sua voz era tão boa quanto a sua, isto é, tinha êxito com o domínio de três oitavas e meia – finalmente, eu fiz especialmente um treinamento com três oitavas com uma sexta menor – e isto foi feito com 21 a 22 músicas, que lê dançava sem parar de verdade, todas intercaladas com um ou dois doces canções… Ele fazia seus exercícios vocais três vezes por dia, a partir da 12h às 13h, das 16h às 16h30 e das 20h15 às 20h30, antes que ele subiu ao palco.

Algumas tardes, ele podia fazer qualquer coisa, e eu lhe perguntava onde estavam seus erros e efeitos para serem evitados. Então, quando ele começava, aproveitava o tempo para reorientar e bingo, estva pronto para, mas uma turnê!

Sara Levy: Quando você começou a ser o treinador de voz dele?

SR: Há 32 anos atrás.

SL: Qual foi seu primeiro encontro? Você se lembra?

SR: Sim! A primeira vez que eu me dirigir para o portão de entrada, mas os carpinteiros ou pedreiros estavam lá e me disseram: “Não, estamos instalando uma nova escadaria, você tem que ir até o telhado”. Eu disse: “O quê?” e eles repetiram a mesma resposta. O cara colocou uma escada para eu subir, então eu tive de atravessar parte do telhado e vi duas etapas para chegar até a porta.

Uma vez lá, eu bati na porta, e então ouvi uma voz (uma voz baixa) Sim? “Eu disse, “Você está ai Michael”? “… Sim, entre” Eu entrei e ele estava lá, com as duas pernas do chimpanzé levantadas para o alto, limpando o bumbum dele para depois colocar a fralda. Isso foi o que aconteceu durante o meu primeiro encontro com Michael. 


SL: Muito interessante…

SR: Eu fui muitas vezes treina-lo em seu quarto, porque ele se sentia bem, tinha todos os brinquedos e as coisas que ele amava. Seu quarto era um duplex, e tinha bonecos, uma menina, um rapaz fumando debruçado na varanda parecia que observam tudo lá de cima.

Pinóquio também estava pendurado na escada que conduzia à varanda, balançando para cima e para baixo quando alguém o empurrava…Às vezes eu estava no piano para aquecer a voz de Michael, e o chimpanzé vinha dava um tapinha no ombro e empurrava o Pinóquio de Michael, que começava a balançar para cima e para baixo e fica me segurando-me pelo ombro …

Michael era muito divertido… Então, nossas aulas eram sempre marcadas por todos os tipos de animais que iam e vinham!

[Michael] tinha um coração em suas mãos. Quando ele ouviu uma pessoa em perigo, ele ajudava.

Quando uma criança foi queimada viva pelo seu pai em uma sala de hotel, Michael leu o artigo sobre ele e foi imediatamente à procura dele.

No hospital, a criança tinha bandagens dos pés à cabeça. E somente um buraco na boca para que ele pudesse falar, o restante era bandagens. E a criança disse: “Eu não sei o que fazer… O que será de mim?”.

E Michael respondeu: “Não se preocupe, eu vou cuidar de você para o resto de sua vida”. E é isso que ele fez. Ele sempre teve um carinho por esta criança. (Para quem não sabe, este é o Dave Dave).

SL: Qual é sua memória favorita de Michael Jackson?

SR: Há assim… Todos eles estão relacionados com a sua bondade. Ele foi um coração grande. Ele ajudou pessoas que tiveram graves problemas, lugar com poucas opções.
Ele se deslocou, o seu dinheiro deu para comprar coisas que as pessoas não tinham ou precisavam que essas pessoas tiveram ou precisar de alguma coisa que…

Quando ele conheceu o Ryan White, o menino que se contaminou em uma transfusão de sangue…

(Michael) foi ao funeral de um menino que se afogou depois de ser jogado no rio pela mãe. O pai os havia abandonado e não havia o que suficiente para se alimentarem (o bebê), ela o jogou de uma ponte com o seu irmão mais velho, depois ela saltou também dentro do rio. Eles conseguiram salvar a mãe e o outro filho mais velho mas o bebê se afogou.

Mais uma vez, Michael leu algo sobre isso e foi imediatamente para Long Beach. Todos aguardavam o início do funeral. Entretanto, o pai nunca havia visto todos os danos que ele tinha causado. Mas nada mudou o fato porque o bebê estava morto…
Em suma, alguém perguntou por que estavam retardando o início do funeral, e outra pessoa disse que “a pessoa que pagou a cerimônia ainda não tinha chegado” Com isso, uma limusine chegou, e quem era? Michael.

Lembro-me de vez em Liverpool, Michael leu em um jornal que falava sobre uma criança – como às vezes pode acontecer – ele foi criado por lobos, que imediatamente gritou e disse: “É muito feio, é preciso levantar o dinheiro para o pequeno”…

Ele estava constantemente à meta de pessoas que queriam extorquir dinheiro. Ele foi acusado de acariciar uma criança, mas foi absolvido no julgamento.
Mais tarde, o garoto admitiu que fosse seu pai, que planejou tudo, e nada era verdade. Pouco tempo depois, o suicídio do pai aconteceu.
Claramente, há uma abundância de aspectos na vida de Michael, que as pessoas não entendem. Não faria mal a uma criança em qualquer circunstância.

Você pode não ter tido sempre muita pipoca ou sorvete… Ele tinha grandes recipientes de sorvetes Haagen DAAS espalhados por todo o rancho, por todo o parque de estacionamento, mas máquinas…
Às vezes eu gostava de ir para lá de manhã cedo, em jejum sem ter comido nada, só para eu ser a própria tigela grande de sorvete Haagen DAAS ou invés de uma bebida de café da manhã virava um pequeno almoço!

E a cada ano, mais crianças e pais viam a Neverland. Eu sentava para ver porque eu sabia que tudo aquilo levava muito tempo…

Além disso, eu estava com o [Michael], quando ele comprou a propriedade.

No entanto, alguns pais vieram a mim com lágrimas nos olhos, perguntando: “Mas, para onde nós trouxemos?”

Eu os respondia: Estamos de volta à infância em Neverland… Este é o lugar onde vive Peter Pan…

 Nossa!!! Que pessoinha mais maravilhosa era nosso “Michael”!!!!

A cada nova descoberta, meu coração se enche de orgulho,respeito,admiração e carinho.

Impossível não amar esse homem chamado “amor”