JUSTIN TIMBERLAKE CONFESSA TER OPTADO POR UMA CARREIRA A SOLO A CONSELHO DE MICHAEL JACKSON

Justin Timberlake enveredou por uma carreira a solo, a conselho de Michael Jackson.

jt

O cantor, atualmente com 33 anos de idade, não tencionava deixar os ‘N Sync e lançar-se a solo, até ter falado com o rei da Pop.

Segundo explicou numa entrevista com Oprah, na origem da conversa com Michael Jackson esteve um tema composto por Timberlake para o artista, que acabou por fazer parte da discografia dos ‘N Sync.

“Era uma daquelas músicas que sentia ser um pouco mais pessoal, pois tinha-a escrito para o maior artista de todos os tempos”, começou por contar o intérprete de Mirrors, que continuou: “Eu acho que o Michael Jackson a ouviu e ligou-me a dizer que queria ficar com ela, mas ele queria transformá-la num dueto entre nós. E eu disse: ‘Bem, a faixa já foi editada, como uma tema dos ‘N Sync… Podemos fazer algo como ‘N Sync com colaboração de Michael Jackson ou Michael Jackson com colaboração dos ‘N Sync?’. Mas ele foi muito claro, ele queria que fosse um dueto entre ele e mim”.

Justin Timberlake concluiu: “Eu acho que aí surgiu a primeira ideia em fazer algo por conta própria, pois foi a primeira vez que senti, na verdade, confiança para o fazer”.

Fonte: palcoprincipal

 

avatarAdrianaFlower7

 

Anúncios

Os vídeos mais caros de Michael Jackson

 

“Thriller” – (1983) Dir: John Landis – US$ 1.000.000

Eis aqui o famoso clipe em que zumbis saem dançando pela cidade à noite. Na história, Michael sai do cinema com sua namorada, que ficou apavorada após assistir a um filme terror, e durante o caminho de volta encontram zumbis dançarinos pela rua. O cantor também entra na onda e se transforma em um deles. Tanto as danças quanto a roupa de Michael no vídeo sempre foram lembrados em filmes de comédia, seriados e desenhos de gerações posteriores. “Thriller” foi (e continua sendo) um marco para a cultura pop em geral.

“Remember The Time” (1992) – Dir: John Singleton – US$ 1.200.000

Ambientado no Egito e com roupas de faraós, “Remember The Time” tem a participação do ator Eddie Murphy e do maior astro norte-americano do basquete na época, Magic Johnson. Como sempre, Michael atua como porta voz de uma equipe de dançarinos que segue seus passos com precisão, mesmo em uma de suas danças mais complexas. O vídeo ficou famoso por mostrar o músico beijando uma mulher pela primeira vez nas telas.

“Black or White” (1991) Dir: John Landis – US$ 1.500.000

Um vídeo que junta leões, aborígenes dançarinos, índios, soldados soviéticos, bebês, uma estátua da liberdade falsa, várias pessoas de raças distintas se transformando uma na outra (com o efeito morfo, inédito na época), faz menções ao Simpsons, conta com a participação de Macaulay Culkin vestido de rapper mirim, e ainda termina com Michael se transformando em uma pantera: realmente não poderia ser barato. A versão original do vídeo tem 4 minutos a mais, e o cantor aproveita o tempo extra para estraçalhar um carro com um pé de cabra. O vídeo foi um choque para a época e essa parte foi editada. No Brasil, o clipe estreou durante o Fantástico, da Rede Globo.

“Bad” (1987) – Dir: Martin Scorcese – US$ 2.200.000

“Bad” é conhecido por conter uma das mais famosas coregrafias da história dos videoclipes, que acabou eternizando os passos de dança de Michael. No vídeo, o astro pop age como um maestro comandando uma gangue de dançarinos em um estacionamento. O vídeo foi dirigido pelo cineasta Martin Scorcese e a versão original tem 18 minutos de duração. O ator Wesley Snipes também participa do clipe, em uma de suas primeiras aparições de destaque.

“Scream” (1995) – Dir: Mark Romanek – US$ 7.000.000

Para oficializar em vídeo a primeira parceria musical com sua irmã, Janet Jackson, Michael não quis saber de poupar dinheiro algum e produziu o videoclipe mais caro de toda a história, segundo o livro Guinness World Records. “Scream” foi single do álbum HIStory: Past, Present and Future, que contém material inédito e sucessos do cantor. No clipe, que teve 11 cenários diferentes e foi gravado em 11 dias, os irmãos interpretam a canção enquanto se divertem dentro de uma nave espacial.

Fonte: 

 

 

Livro com poesias de Jackson chega ao Brasil

“A Dança dos Sonhos” mostra lado pouco conhecido do cantor”

Volume com poesias do astro foi publicado nos EUA há 20 anos / AFP/AFP

 

Quase 20 anos após sua publicação nos Estados Unidos, “A Dança dos Sonhos” (“Dancing the Dream”), livro de poesias do astro Michael Jackson, finalmente chega ao Brasil pela Ibis Libris Editora (preço sugerido: R$ 70).
Único título publicado pelo eterno Rei do Pop, a obra revela um lado pouco conhecido de Michael, que, nos textos, se expõe como poucas vezes.
A tradução ficou a cargo de Thereza Christina Rocque da Motta, que conheceu o livro pelo produtor carioca Leandro Lapagesse, um dos maiores colecionadores de artigos relacionados ao cantor na América Latina.

Fonte: BAND

 

Fãs alagoanos de Michael Jackson prestam tributo ao ídolo Pop

Um fenômeno internacional da música pode ser reconhecido pela legião de fãs que consegue arrecadar pelo mundo durante sua carreira. No caso do cantor estadunidense Michael Jackson, a dedicação dos fãs é algo que não cessou com a morte do astro, pelo contrário, a atenção recente em torno do mito fez com que ele conquistasse novos admiradores.

No mesmo clima de homenagens que acontecem ao redor do globo, o Michael Jackson Fã Club Maceió vai prestar o seu terceiro tributo a Michael Jackson, este sábado (27), no Espaço Linda Mascarenhas. Marcado para começar às 15hs, o evento, que é realizado pelo fã clube e conta com o apoio cultural do Instituto Zumbi dos Palmares, promete uma programação recheada de atrações, como: concursos de dança, caracterização e interpretação; Show com a banda Sometime, apresentação de cover de Michael Jackson; exposição; Quizz e sorteio de brindes.

De acordo com a presidente do fã clube, Amanda Lima, “o evento visa a interação dos fãs do astro para que possam trocar idéias, passar uma tarde agradável e comemorar o aniversário de nascimento de Michael, que será no dia 29/08”. Com certeza, é a oportunidade ideal para conhecer outros admiradores do falecido Rei do Pop e “trocar figurinhas” sobre o ídolo.

 

Fonte: Primeira Edição

Seth Riggs fala de Michael Jackson em entrevista para Sara Levy



Está é uma entrevista comovente do Seth Riggs, que era o treinador ou professor vocal de Michael Jackson a partir dos anos 80.

Ele foi entrevistado pela Sara Levy, Magic Music Site.

Seth Riggs: Como todos sabem, Michael era um artista fenomenal. Sua voz era tão boa quanto a sua, isto é, tinha êxito com o domínio de três oitavas e meia – finalmente, eu fiz especialmente um treinamento com três oitavas com uma sexta menor – e isto foi feito com 21 a 22 músicas, que lê dançava sem parar de verdade, todas intercaladas com um ou dois doces canções… Ele fazia seus exercícios vocais três vezes por dia, a partir da 12h às 13h, das 16h às 16h30 e das 20h15 às 20h30, antes que ele subiu ao palco.

Algumas tardes, ele podia fazer qualquer coisa, e eu lhe perguntava onde estavam seus erros e efeitos para serem evitados. Então, quando ele começava, aproveitava o tempo para reorientar e bingo, estva pronto para, mas uma turnê!

Sara Levy: Quando você começou a ser o treinador de voz dele?

SR: Há 32 anos atrás.

SL: Qual foi seu primeiro encontro? Você se lembra?

SR: Sim! A primeira vez que eu me dirigir para o portão de entrada, mas os carpinteiros ou pedreiros estavam lá e me disseram: “Não, estamos instalando uma nova escadaria, você tem que ir até o telhado”. Eu disse: “O quê?” e eles repetiram a mesma resposta. O cara colocou uma escada para eu subir, então eu tive de atravessar parte do telhado e vi duas etapas para chegar até a porta.

Uma vez lá, eu bati na porta, e então ouvi uma voz (uma voz baixa) Sim? “Eu disse, “Você está ai Michael”? “… Sim, entre” Eu entrei e ele estava lá, com as duas pernas do chimpanzé levantadas para o alto, limpando o bumbum dele para depois colocar a fralda. Isso foi o que aconteceu durante o meu primeiro encontro com Michael. 


SL: Muito interessante…

SR: Eu fui muitas vezes treina-lo em seu quarto, porque ele se sentia bem, tinha todos os brinquedos e as coisas que ele amava. Seu quarto era um duplex, e tinha bonecos, uma menina, um rapaz fumando debruçado na varanda parecia que observam tudo lá de cima.

Pinóquio também estava pendurado na escada que conduzia à varanda, balançando para cima e para baixo quando alguém o empurrava…Às vezes eu estava no piano para aquecer a voz de Michael, e o chimpanzé vinha dava um tapinha no ombro e empurrava o Pinóquio de Michael, que começava a balançar para cima e para baixo e fica me segurando-me pelo ombro …

Michael era muito divertido… Então, nossas aulas eram sempre marcadas por todos os tipos de animais que iam e vinham!

[Michael] tinha um coração em suas mãos. Quando ele ouviu uma pessoa em perigo, ele ajudava.

Quando uma criança foi queimada viva pelo seu pai em uma sala de hotel, Michael leu o artigo sobre ele e foi imediatamente à procura dele.

No hospital, a criança tinha bandagens dos pés à cabeça. E somente um buraco na boca para que ele pudesse falar, o restante era bandagens. E a criança disse: “Eu não sei o que fazer… O que será de mim?”.

E Michael respondeu: “Não se preocupe, eu vou cuidar de você para o resto de sua vida”. E é isso que ele fez. Ele sempre teve um carinho por esta criança. (Para quem não sabe, este é o Dave Dave).

SL: Qual é sua memória favorita de Michael Jackson?

SR: Há assim… Todos eles estão relacionados com a sua bondade. Ele foi um coração grande. Ele ajudou pessoas que tiveram graves problemas, lugar com poucas opções.
Ele se deslocou, o seu dinheiro deu para comprar coisas que as pessoas não tinham ou precisavam que essas pessoas tiveram ou precisar de alguma coisa que…

Quando ele conheceu o Ryan White, o menino que se contaminou em uma transfusão de sangue…

(Michael) foi ao funeral de um menino que se afogou depois de ser jogado no rio pela mãe. O pai os havia abandonado e não havia o que suficiente para se alimentarem (o bebê), ela o jogou de uma ponte com o seu irmão mais velho, depois ela saltou também dentro do rio. Eles conseguiram salvar a mãe e o outro filho mais velho mas o bebê se afogou.

Mais uma vez, Michael leu algo sobre isso e foi imediatamente para Long Beach. Todos aguardavam o início do funeral. Entretanto, o pai nunca havia visto todos os danos que ele tinha causado. Mas nada mudou o fato porque o bebê estava morto…
Em suma, alguém perguntou por que estavam retardando o início do funeral, e outra pessoa disse que “a pessoa que pagou a cerimônia ainda não tinha chegado” Com isso, uma limusine chegou, e quem era? Michael.

Lembro-me de vez em Liverpool, Michael leu em um jornal que falava sobre uma criança – como às vezes pode acontecer – ele foi criado por lobos, que imediatamente gritou e disse: “É muito feio, é preciso levantar o dinheiro para o pequeno”…

Ele estava constantemente à meta de pessoas que queriam extorquir dinheiro. Ele foi acusado de acariciar uma criança, mas foi absolvido no julgamento.
Mais tarde, o garoto admitiu que fosse seu pai, que planejou tudo, e nada era verdade. Pouco tempo depois, o suicídio do pai aconteceu.
Claramente, há uma abundância de aspectos na vida de Michael, que as pessoas não entendem. Não faria mal a uma criança em qualquer circunstância.

Você pode não ter tido sempre muita pipoca ou sorvete… Ele tinha grandes recipientes de sorvetes Haagen DAAS espalhados por todo o rancho, por todo o parque de estacionamento, mas máquinas…
Às vezes eu gostava de ir para lá de manhã cedo, em jejum sem ter comido nada, só para eu ser a própria tigela grande de sorvete Haagen DAAS ou invés de uma bebida de café da manhã virava um pequeno almoço!

E a cada ano, mais crianças e pais viam a Neverland. Eu sentava para ver porque eu sabia que tudo aquilo levava muito tempo…

Além disso, eu estava com o [Michael], quando ele comprou a propriedade.

No entanto, alguns pais vieram a mim com lágrimas nos olhos, perguntando: “Mas, para onde nós trouxemos?”

Eu os respondia: Estamos de volta à infância em Neverland… Este é o lugar onde vive Peter Pan…

 Nossa!!! Que pessoinha mais maravilhosa era nosso “Michael”!!!!

A cada nova descoberta, meu coração se enche de orgulho,respeito,admiração e carinho.

Impossível não amar esse homem chamado “amor”



Veja cenas do novo game que revive Michael Jackson

Novo jogo faz os participantes dançarem passos de sucessos como Smooth Criminal.

Chega às lojas, em 12 de abril, o game Michael Jackson: The Experience, disponível para plataformas de PlayStation 3 com Move e Xbox 360 com Kinect.

O jogo oferece aos usuários a possibilidade de dançar como se fosse o Rei do Pop e conta com grandes sucessos como Smooth Criminal, imortalizado no filme Moon Walker.

O game traz ainda a função Karaokê e é um lançamento da empresa Ubisoft.

Veja o vídeo promocional!

Simplesmente maravilhooooooso!!!!!Ameiii….

 

Fonte: Terra e You tube

Game Review: Michael Jackson – The Experience

Desde a morte do rei do pop, em junho de 2009, muitos produtos licenciados sob a batuta “Michael Jackson” foram lançados: desde remasterizações dos seus álbuns até um documentário, livros, álbum de figurinhas e até chicletes! Dentro destes produtos óbvio que um jogo de video game não poderia faltar. Produzido e idealizado pela Ubisoft Montreal, o jogo promete horas de diversão descompromissada dentro do universo do cantor. A pergunta que fica é: será que cumpre o que diz?

 

Antes de mais nada é bom já introduzir um fato histórico: este não é o primeiro jogo do cantor lançado para consoles. O jogo “Moonwalker” foi lançado em 1990 para arcades, Mega Drive, Master System e Sega Genesis e foi produzido pela Sega. Completamente diferente do jogo desenvolvido pela Ubisoft, o “Moonwalker” é baseado no filme homônimo do artista, lançado em 1988 enquanto o jogo da Ubisoft é um divertido jogo de dança para múltiplos jogadores.

Lançado em 23 de novembro de 2010 para Wii, PSP e Nintendo DS, neste review abordarei a versão para o console de mesa da Nintendo. Uma coisa que é bom deixar claro é que assim como “The Beatles: Rock Band” está para o “Rock Band”, o “Michael Jackson: The Experience” está para o “Just Dance” ou seja, se trata de uma versão especial de uma série com uma mecânica já consagrada. Para quem não conhece, eu explico: a tela da sua televisão mostra movimentos a serem imitados (como uma aula de aeróbica, por assim dizer) e, com apenas o Wiimote em sua mão, você deve repetir os movimentos com um timing perfeito. Simples e de uma facilidade extrema de se jogar. Você pode seguir os movimentos a serem feitos tanto pelos dançarinos presentes quanto pelo mostrador nas barras laterais da tela. O diferencial deste jogo para o “Just Dance” é a escolha de como dançar. Você pode tanto assumir o papel do Michael como o dos dançarinos, quando presentes, que na maioria das vezes possuem uma coreografia diferenciada e, normalmente, mais fácil que a do rei do pop.

O essencial do jogo é o timing. Ele é o seu maior aliado e, na maioria da vezes, seu maior inimigo. Cada movimento a ser feito possui uma pose específica que determina seu seu movimento foi perfeito ou péssimo e, nesse esquema, a pontuação é feita. Muitas vezes você se irrita com esse sistema, fato! Uma pose que você sabe que fez, um movimento perfeitamente realizado e nenhum ponto dado. Minha dica é: quando jogar, toda vez que for finalizar um movimento, faça um movimento com o pulso, “mostrando” ao jogo que seu movimento foi realizado.

 

A evolução do jogo, para os mais entusiastas, também deixa a desejar – e muito. Por ser um jogo voltado para um público casual, que não passa horas na frente da TV jogando, todas as 27 músicas presentes no jogo já estão liberadas desde o início. O que pode dar uma sobrevida ao jogo, neste sentido, é o fato que ao dançar cada vez mais e mais músicas você vai liberando vídeos de treinamento (o que, na minha opinião pessoal, é algo bem desnecessário – se você vai treinar o jogo, você o faz antes de começar a jogar e não depois, certo?). No fim das contas o que mais vale é o modo multiplayer. Este jogo foi pensado para se jogar em grupo (e no Wii até 4 pessoas podem se juntar para jogá-lo) e garante, fato comprovado por mim, muitas horas de suadeira e diversão.

 

Com uma seleção musical divertidíssima e competente, pensado para entreter todo mundo, de fácil jogabilidade e com gráficos que cumprem o seu papel, “Michael Jackson: The Experience” não deixa a desejar. Lançado, atualmente, apenas para o Wii e portáteis, o jogo chega ao XBox 360 e ao Playstation 3 ainda este semestre – com suporte ao Kinect e ao Playstation Move, sucessivamente – e é fato que também vai garantir horas de diversão.

 

Fonte: showmetech